quarta-feira, 31 de março de 2010

PARA REFLETIR

Você gostaria de ter visão espiritual? Por quê?

Fiz essas perguntas por que sei que muitos cristãos não conseguem enxergar absolutamente nada, quando o assunto se trata de visão espiritual. E outros buscam estas manifestações como um viciado que deseja drogas para “viajar” nas alucinações como um meio de fuga da realidade. Às vezes é necessário vermos de forma mais contundente o sobrenatural de Deus para podermos entender que existem sim batalhas espirituais sendo travadas a todo instante ao nosso redor. “Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais” (Efésios 6.12). Entretanto, não podemos nos esquecer que tudo o Deus faz tem um propósito.

Certa ocasião um homem, servo de um grande profeta, precisou ver o sobrenatural de Deus para entender algumas lições fundamentais para uma vida em Deus. “E o servo do homem de Deus se levantou muito cedo e saiu, e eis que um exército tinha cercado a cidade com cavalos e carros; então o seu servo lhe disse: Ai, meu senhor! Que faremos? E ele disse: Não temas; porque mais são os que estão conosco do que os que estão com eles. E orou Eliseu, e disse: SENHOR, peço-te que lhe abras os olhos, para que veja. E o SENHOR abriu os olhos do moço, e viu; e eis que o monte estava cheio de cavalos e carros de fogo, em redor de Eliseu”. (II Reis 6.15-17)

Este incrível relato mostra que as tropas da Síria estavam cercando Israel, mais precisamente Dotâ. Porém, o ápice do texto não está neste cerco, mas na conversa entre este homem com o profeta Eliseu. Diz as Escrituras que o servo do homem de Deus ao se levantar bem cedo se deparou com uma tropa com cavalos e carros de guerra em torno da cidade. Então ele exclamou para o profeta Eliseu: “Ah, meu senhor! O que faremos?” O que faríamos nesta situação? Certamente podemos tirar algumas lições sobre este episódio sobrenatural relatado no texto.

Devemos entender que como servos de Deus não estamos imunes aos cercos dos inimigos em nossas vidas. Quantas vezes nos sentimos acuados ou cercados? Olhamos ao nosso redor e só vemos as espadas, lanças e flechas do inimigo. O diabo é nosso maior inimigo, ele é tido como o adversário de nossa alma. O Apóstolo Pedro em sua primeira carta diz: “Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar” (I Pedro 5.8). Muitas vezes começamos a temer quando olhamos ao redor e só enxergamos o cerco do inimigo.

O medo pode nos paralisar. Sabia que o rosnado de um tigre ou leão mexe de tal forma com o sistema nervoso de um homem que ele pode ficar completamente paralisado por alguns instantes? Quantas pessoas estão paralisadas com o rosnado de satanás? Quantas pessoas se afastaram da presença de Deus por causa do cerco do inimigo? Quantos neste momento podem estar pensando: “Ah, e agora? O que será do meu casamento? O que será da minha família? O que será de meu ministério? O que farei?”

O servo de Eliseu, homem sem a devida visão espiritual, ao ver as tropas da Síria, entrou em desespero. Ele se esqueceu das experiências passadas junto ao profeta Eliseu, e temeu. E assim como ele, muitas vezes nós também nos vemos cercados pelas adversidades da vida. Quantas vezes nos encontramos em um beco sem saída. Mas o que Eliseu disse ao seu servo? “Não tenha medo. Aqueles que estão conosco são mais numerosos do que eles”. Em Provérbios 3.25 está escrito: “Não temas o pavor repentino, nem a investida dos perversos quando vier”. Eliseu como profeta de Deus foi usado naquele momento para falar ao seu servo, e também a nós, sobre algumas verdades que devemos aplicar em nossas vidas.

Em primeiro lugar, não devemos temer as adversidades da vida ou as ameaças do mundo ou do diabo. A Bíblia nos ensina que em Jesus somos mais que vencedores sobre qualquer cilada de satanás. Todos nós sabemos que somos limitados, imperfeitos, pecadores, mas em momentos de medo devemos nos lembrar que o Senhor está conosco. A Bíblia nos fala 365 vezes a expressão: Não temas. O medo não é somente sinal de covardia. Ele pode ser um sinal de alerta quando entendemos o que o Apóstolo João escreveu: “Filhinhos, sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo.” (I João 4.4). Não é errado sentir medo, mas permanecer nele é dizer em outras palavras: “Meu Deus é pequeno demais para me socorrer”.

Em segundo lugar, nunca estamos sozinhos na batalha. O profeta Eliseu queria mostrar ao homem que um servo de Deus nunca esta sozinho nas batalhas. Como Igreja, somos uma família e devemos apoiar uns aos outros nas lutas e adversidades. Em Efésios 2.19 está escrito: “Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos, e da família de Deus”. O Senhor ainda envia anjos a nos auxiliar como diz em Salmo 91.11: “Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos”. E além, claro, de o próprio Deus se fazer presente dentro de nós como disse Jesus em Mateus 28.20: “e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém”. Como podemos nos sentir sozinhos ou desamparados? “Mais são os que estão conosco do que os que estão com eles”. Disse Eliseu ao seu servo.

E em terceiro lugar, precisamos enxergar mais espiritualmente as questões de nossa vida cristã. O apóstolo Paulo escrevendo à Igreja de Corinto, nos mostra a razão pela qual o servo de Eliseu agiu assim: “Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Mas o que é espiritual discerne bem tudo, e ele de ninguém é discernido” (I Co 2.14-15). Deus quer nos dar visão espiritual. Devemos ter discernimento e sabedoria. Não podemos agir como um homem natural sem Cristo. Assim como Eliseu clamou pelo seu servo, nós podemos clamar ao Espírito Santo que interceda também por nós acerca deste assunto.

Devemos clamar ao Senhor para que nossos olhos se abram para as coisas espirituais. No entanto, não queremos ser como Tomé, que creu só por que viu. Ter visão espiritual é crer, antes de qualquer coisa, que os céus se movem a nosso favor. Só terei visão espiritual plena se Jesus fizer parte a todo instante de minha vida. Nunca devemos nos esquecer, podemos estar cercado pelos nossos inimigos, mas com certeza uma batalha nas regiões celestiais está acontecendo a nosso favor. Que Deus assim nos abençoe.

Pr. Eurico C. G. da Costa

1 comentários:

Pastor Eurico da Costa disse...

Olá queridos!!!
Estava navegando na internet e encontrei meu artigo neste blog. Deus abençoe vocês e o ministério quebrando limites.
Abraços do Pr. Eurico C. G. da Costa

Postar um comentário